sexta-feira, 14 de outubro de 2011

À primeira íris


A cena dos olhos dele cruzando com os dela pela primeira vez foi inesquecível. Ele nunca tinha reparado tanto em um par de olhos. O brilho que as duas esferas azuis emitiu pareceu iluminar todo o ambiente e transpor qualquer barreira física, até atingir o interior dele. Eles não se falaram, muito menos se tocaram, mas a força daquele olhar fez com que ela entrasse de vez em seus pensamentos e sentimentos e por lá ficasse.

Os olhos azuis pareciam ter sido esculpidos com a mais rara das pedras preciosas, algo como uma utópica liga de topázios e turquesas. A cor única harmonizava de forma perfeita com o tom claro da pele dela. Tornava os olhos maiores e o olhar muito mais intenso. Lembrava, simultaneamente, o frio polar e o calor escaldante dos dias de sol sem nuvens.

Até que eles se vissem outra vez, a luz do olhar dela não saiu da mente dele.

Ele não imaginava, mas, ao vê-lo, os olhos dele ficaram registrados nas memórias dela. O olhar cheio ofuscou todo o entorno dos dois naquele rápido instante em que se cruzaram. O verde bucólico da íris dele transmitiu a ela de imediato uma estranha e confortante sensação de segurança. Sem saber explicar por que, ela sentiu-se na primavera.

Ela pensava nos detalhes dos olhos dele, como flores em um campo. Pequenos raios luminosos em uma imensidão verde-oliva que brilhavam até ela. O olhar dele era como o portal de acesso a algo maior e valioso.

Até que eles se vissem outra vez, a luz do olhar dele não saiu da mente dela.

Eles se encontraram novamente, numa situação propícia. Os dois meio atrapalhados, inseguros. Conheceram-se, falaram qualquer coisa, riram. Em questão de tempo, se renderam a um beijo. O toque dos lábios levou as luzes brilhantes dos olhares, outrora tão contempladas por eles, a se apagaram. E, no escuro total, eles foram, juntos, para outra dimensão.

2 comentários:

Rosália Silva disse...

Oi Ulisses, precisava falar com vc. Mas não pelo Twitter. Pode me enviar um e-mail?

Fabi disse...

Ao ler o texto não consegui parar de pensar se esse beijo teria o sabor do caramelo ou do iogurte. Mas acabei optando pelo café. ;)
Beijo*