sábado, 24 de setembro de 2011

Duas


Elas eram amicíssimas, não se desgrudavam nunca. Sabiam tudo uma da outra e nunca tinham brigado sério. Era até raro não vê-las juntas. Eram muito parecidas, só os amigos mais próximos sabiam identificar com precisão quem era quem. Até o pai delas se confundia às vezes. E eram incrivelmente bonitas.

A beleza delas sempre fez sucesso. Atualmente as duas trabalham no mesmo lugar e, por lá, todo o bairro já ouviu falar das irmãs lindas e iguais. O gerente nunca declarou abertamente, mas, após a contratação delas, a procura pela empresa cresceu exponencialmente. Coincidência ou não, pelo público masculino.

Elas já se acostumaram a chamar a atenção. Foi assim durante toda a faculdade, em que as festas do curso que fizeram juntas eram as mais cheias. Nunca faltaram amigos querendo ser do mesmo grupo de trabalho ou perguntando, em princípio inocentemente, qual a boa do fim de semana. A biblioteca também se enchia mais quando elas estavam por lá.

Na escola não foi diferente. As irmãs eram o sonho de todos os colegas. Desde novinhas faziam sucesso com os tidos como inalcançáveis caras do terceiro ano. Eram superpopulares e escolheram a dedo os rapazes com quem se relacionaram. O vôlei da Educação Física tinha até plateia e o time das olimpíadas interclasses tinha mais torcida que o time de futebol profissional da cidade.

Na adolescência fizeram alguns trabalhos como modelos, sempre juntas. Eram as mais procuradas da idade para as campanhas publicitárias. Mas não quiseram seguir a carreira porque sabiam que uma hora teriam que se separar. Também foram as musas do curso de inglês, do balé e da academia.

Quando crianças, elas receberam todos os elogios possíveis. A praça ficava lotada de velhinhas babonas quando elas estavam lá brincando no escorregador. Os pais ficavam cheios de orgulhos das crias. E as gêmeas sempre juntas.

Já começaram a ser percebidas como diferentes dos demais ainda na maternidade. Os enfermeiros opinavam que elas eram mais bonitas, mais engraçadinhas que os outros bebês. E daí em diante naturalmente as irmãs mantiveram os holofotes sobre si.

Na verdade, o sucesso começou até antes disso. Meses antes delas nascerem, comentava-se que aquele espermatozoide era mais vistoso que os outros. E que ainda iria dar o falar.

3 comentários:

Fabi disse...

Hum... e ai as gêmeas se maquiam?! (tautológicamente "falando") =P

Adorei a estrutura do texto com a inversão da ordem cronológica dos acontecimentos.

Ah, e eu ri da marcação a respeito do gato. rs

ThiagoFC disse...

Por incrível que pareça: eu havia reparado no gato (que em muito se parece com a Juju, uma gata que eu tenho e que hoje vive na casa da minha tia. Só que a Juju já é adulta, e recentemente engordou tanto que lembra o Garfield)

Blog do Cano disse...

Hehe belíssima análise! Essas aí não são as gêmeas gostosas do nado sincronizado?